Time’s Up: mulheres de Hollywood criam movimento contra assédio sexual

Atrizes, roteiristas, produtoras e diretoras de Hollywood se juntaram em uma iniciativa para combater o assédio sexual na indústria fonográfica e em outras áreas nos EUA. O Time´s Up vai oferecer apoio legal a homens e mulheres que foram assediados ou violentados no local de trabalho.

O movimento privilegia pessoas com baixos salários como domésticas, zeladores, garçonetes, faxineiros e operários de fábricas e agricultura e defende benefícios e salários iguais para homens e mulheres.

Segundo carta aberta publicada pelo New York Times e pelo jornal espanhol La Opinion, as representantes do Time’s Up pedem para que a mídia não divulgue apenas casos de pessoas “famosas”

As atrizes Natalie Portman, Reese Whiterspoon, Meryl Streep e Ashley Judd; a diretora e produtora, Shonda Rhimes; a escritora Gloria Steinem; e a advogada e ex-chefe de gabinete, de Michelle Obama, Tina Tchen são alguns dos nomes que fazem parte do projeto.

Por enquanto, foram arrecadados US$13,4 milhões da meta inicial de US$15 milhões. O Time’s Up ganhou força após uma série de denúncias contra figurões importantes da indústria do entretenimento e política em 2017 como Harvey Weinstein e Kevin Spacey.